O SUCESSO DO TURISMO DE VINHOS

Aurtor: Per and Britt Karlsson


O enoturismo está se tornando cada vez mais importante para os produtores de vinho. Na Califórnia, estima-se que contribui com 2 bilhões de dólares anuais para a economia. As Rotas do Vinho da Espanha aumentaram as receitas em mais de 15%. E 60% das vendas das vinícolas americanas são diretas ao consumidor. E cada vez mais, quem bebe vinho, mora longe do local onde foi elaborado. Perto de 40% de todo o vinho é consumido em uma região diferente de sua origem. Em 2000, esse número era de apenas 22%. O enoturismo é cada vez mais uma importante fonte de receita direta ou indiretamente. Contribui para as vendas no local, é claro, mas talvez o mais importante seja também um projeto de longo prazo para uma vinícola se engajar na construção de uma marca e no estabelecimento de um relacionamento com os clientes. Isso é mais importante que as receitas de curto prazo.

Aqui está um breve resumo para ser bem-sucedido no turismo do vinho. Primeiro, vejamos o “lado da oferta” do enoturismo, as vinícolas. Você pode dividir o turismo do vinho em quatro categorias diferentes e uma vinícola precisa estar ciente de que tipo de perfil se encaixa.

- Porta aberta: A vinícola está pronta para receber pessoas para degustação de vinhos e visitas à adega.

- Educação + entretenimento: Isso é algo um pouco mais complexo e organizado do que “apenas uma visita”. Por exemplo: sessão de assemblage, oficinas de colheita, caminhadas na natureza, aulas de culinária, entre outras.

- Disneylandia: É importante sublinhar que o uso deste rótulo é sem qualquer intenção de dar uma conotação negativa! Trata-se de projetos com grandes orçamentos, muitas vezes com conteúdo misto, incluindo também o turismo “geral” (não relacionado diretamente ao vinho). Por exemplo restaurante, hotel, museu, ecoturismo, etc.

- Eventos: Refere-se a eventos focados no vinho. Feiras de vinho, festa do vinho, gastrocaminhadas, festival da colheita da aldeia, etc.

No lado da demanda do turismo do vinho você tem o turista do vinho. Existem diferentes tipos de turistas de vinho:

• O Curioso: Quer saber tudo. O vinho é o único propósito.

• O Gastro-Turista: Comida e vinho são o elemento importante.

• O Passageiro Casual: "Estamos em uma região vinícola, então vamos visitar uma vinícola".

Isso às vezes é esquecido. Nem todo enoturista quer o mesmo tipo de experiência. Então, o que uma vinícola pode fazer para tornar seu projeto bem sucedido? Obviamente, não há uma resposta única para isso. Depende do projeto e também depende da localização. É mais fácil atrair turistas para Napa Valley, ao lado de São Francisco (5 milhões de habitantes) do que, por exemplo, Cahors no sul da França a seis horas de carro de Paris.

Talvez o fator mais importante em um projeto de enoturismo seja a colaboração. É o efeito de rede. Assim, quanto mais vinícolas, restaurantes, museus, hotéis, postos de turismo, lojas de vinhos e outros tipos de comércio, entre outros exemplos, estiverem envolvidos e cooperarem, melhor funcionará. Talvez isso não seja fácil se a mentalidade da pessoa for concentrada em competir em vez de colaborar.

Há também algumas outras palavras-chave para manter em mente para a vinícola: compartilhar com o visitante, entusiasmo, autenticidade. Não é preciso ter medo de não ter uma adega “bonita” ou uma sala de degustação perfeitamente organizada. Enquanto as pessoas na vinícola estiverem preparadas para compartilhar sua história com os visitantes, ela funcionará mesmo na adega mais simples. Basicamente, é fácil.

O enoturismo é tudo sobre dar às pessoas uma experiência memorável. E uma experiência pessoal. Algo para lembrar. Algo para levar para casa (fisicamente, talvez: uma garrafa de vinho; mas mais importante: algo na cabeça). Algo que os fará lembrar da vinícola e dos vinhos e que os farão falar sobre isso. Uma adega precisa apenas de três coisas para começar:

• Querer receber os visitantes;

• Bons copos de degustação e

• Banheiros limpos!


Afinal o que realmente conta são pessoas felizes com vinho em seus copos!


Resumo do artigo disponível em: https://www.forbes.com/sites/karlsson/2017/07/21/the-four-successful-types-of-winetourism/#79094dc336fa

Apoiadores:

1553108775559.png
terroir-catarina-marca-fundobranco-01 (1
1553118411516.png
1553093750974.png
1553108900474.png
1553109010836.png
1553118180434.png

Siga-nos nas redes sociais

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle